domingo, 22 de janeiro de 2017

ÁGUA - REVIVEREMOS UM NOVO 2015?

     O mês de janeiro vai chegando ao fim. As previsões meteorológicas não são nada boas. Em 2016 as chuvas do início do ano foram animadoras. Conseguimos acumular água, nossos produtores se alegraram, as cisternas construídas pelo Governo Federal estavam cheias. Mesmo assim a operação pipa funcionou praticamente durante todo ano.

      Sem as chuvas do mês de janeiro o cenário é preocupante . Nossos principais rios já estão secos. O Gorutuba se encaminha para mesma situação do segundo semestre de 2016. As cisternas na zona rural provavelmente não têm nível suficiente de água para suportar todo período da seca, que deve se estender por todo o ano.

      Infelizmente as alternativas são poucas. Nossos produtores já se desfizeram da maior parte do rebanho bovino. Em consequência disso a geração de renda através da produção e comercialização de leite despencou.  A produção agrícola agoniza e, se o produtor não consegue um sistema de irrigação, não deve se aventurar na "planta".

        Cabe-nos pedir a intervenção divina e apelar para que os homens possam tomar consciência do quanto ele  "homem " colaborou para estarmos nessa situação.

        Que à irresponsabilidade da nossa geração com o meio ambiente possa ser reconhecida e assumida, para que possamos educar os nossos filhos, torcendo para que ainda haja tempo.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

O FEDERALISMO QUE MASSACRA OS MUNICÍPIOS

    Há exatamente um ano,, quando sentíamos os efeitos das chuvas de janeiro, publiquei artigo que evocava uma reflexão sobre o nosso sistema federativo. Tal reflexão continua sendo necessária visto que os nossos municípios continuam sendo massacrados. Sendo assim transcrevo algumas ponderações daquele artigo.

     Porque a reforma federativa está abandonada em alguma gaveta de alguma comissão no Congresso Nacional? O nosso sistema federativo continua massacrando o ente municipal, que assume cada vez mais responsabilidades e recebe a cada dia menos recursos.

     O estado não consegue manter a segurança pública, o transporte escolar, a Emater e tudo sobra para os municípios. A União só transfere responsabilidades e nos últimos tempos vem reduzindo vergonhosamente os recursos, e tudo sobra para os municípios. A falta de manutenção de uma estrada construída a mais de trinta anos vem ceifando vidas de trabalhadores e famílias que transitam pela 251 a muito tempo. E tudo sobra para os municípios.

     É preciso que o governo federal enxergue e reconheça o descaso total com esse trecho da BR. Talvez agora nossos legisladores tirem da gaveta a reforma federativa e deixem de sacrificar os municípios.




terça-feira, 17 de janeiro de 2017

RESPEITO É BOM... O BANCO DO BRASIL NÃO SABE.

RESPEITO É BOM... O BANCO DO BRASIL NÃO SABE.


     Já é de conhecimento de todos que há a muito tempo, essa centenária instituição não tem como prioridade sua função social. Tem como objetivo exclusivo aferir lucros exorbitantes, sem o menor interesse de atender, ou se adequar às necessidades e realidades regionais, bem como se envolver com o social dos municípios.

      Já se vão dois meses. Bandidos tentaram assaltar a agência de Francisco Sá, sem êxito.  Segundo informações, não conseguiram levar dinheiro. Houve danos nas portas e num caixa eletrônico. 

       Para todas as perguntas feitas, apenas uma resposta, seca e fria: - SEM PREVISÃO.

        Sabemos que o setor público tem que atender a lei das licitações, mas sabemos também que existem situações emergenciais que permitem dispensa para atender o interesse público. É inadmissível uma instituição do tamanho do Banco do Brasil ficar à mercê de uma empresa terceirizada.

        Enquanto isso a população de Francisco Sá se arrisca diariamente nessa vergonhosa Br 251, indo e vindo a Montes Claros e o nosso comércio mergulha ainda mais na crise, perdendo venda para nossa cidade vizinha.

         Até quando teremos que nos submeter a precária estrutura dos Correios e a pagar taxas à casa lotérica ou a outros bancos?

    RESPEITO É BOM..... O BANCO DO BRASIL NÃO SABE